sexta-feira, 25 de maio de 2018

quinta-feira, 24 de maio de 2018

quarta-feira, 23 de maio de 2018

MAR DE MAIO ...





 Mar algarvio ...

É sempre uma emoção. Venho de longe e depois do cansaço da jornada, a curva da estrada vira à esquerda e, ao longe, num morro, vejo um amontoado de prédios que me aguarda. É ali o meu refúgio. Meter a chave à porta. Cumprimentar aquele espaço que em silêncio me aguarda. Olhar em volta e recordar tudo o que me é tão familiar. Subir a persiana e ser brindado por um sol que ilumina toda a sala de paredes brancas. Depois invadir a varanda e olhar o mar - o meu mar. Ali, do lado esquerdo, divisar ao longe Alvor e Portimão. E, à noite, olhar as luzes da cidade portimonense e o farol da Praia da Rocha, a piscar no seu vermelho intermitente, aviso a marinheiros.

Hoje, em correria Alentejo abaixo, nem sequer fui a casa. Ainda com a bagagem no alforge , corro para Porto de Mós. Entro na esplanada e sou saudado por quem já me conhece há anos.  Mas o Pedro não está. Partiu para paragens longínquas e apetecíveis, carregando baterias para um verão de muito trabalho, naquele restaurante que é sua propriedade. Sento-me então com quem me acompanha, e vou olhando em redor. A clientela derrama-se pelas cadeiras, como lagartos ao sol. E dá para perceber que são todos estrangeiros. Melhor dizendo, somos nós os estrangeiros no nosso próprio país, no esplendor deste mês de Maio. Beber um “Martini” com gelo e uma casca de limão, enquanto o tempo corre pachorrento para o almoço do robalo que se escolhe na vitrina dos desejos. E olhar o mar. Um mar calmo de várias tonalidades. As pequenas ondas inofensivas, que se derramam em caracol na areia fina da praia. Os barcos de turismo que passam junto da costa. E aqueles marinheiros de ocasião, que nos acenam, exultantes de felicidade. Conheço aquele barco colorido e engalanado. É o “Bom Dia”, que percorre a costa até Sagres. A bordo, vão também as sardinhas para serem assadas com o promontório plasmado ao longe, naquele altar esmagador de rocha maciça.

Acabar este monólogo, que já vai longo. Saudar os amigos com um copo de “Martini”. Degustar o robalo escalado à algarvia e saudar igualmente este mês acolhedor. E brindar ao mar. Ao mar da minha infância. Ao mar da minha juventude. Ao meu mar de sempre. Brindar ao meu mar de Maio.

Q.P. 

terça-feira, 22 de maio de 2018

Final da Taça de Portugal... O SONHO TORNOU-SE REALIDADE!!!

EMBORA COM 2 DIAS DE ATRASO é bom relembrar a conquista da Taça de Porugal em 2012
PARA A HISTÓRIA!!!
ESTÁDIO NACIONAL!
FINAL TAÇA DE PORTUGAL 20 MAIO 2012

ACADÉMICA 1 - SPORTING 0
1ª Taça conquistada em 1939 e ...73 anos depois a 2ª - 2012




foto Rui Lucas(com saudade, meu amigo)







A FOTO DA TAÇA - com todo o grupo
foto Jornal A Bola
MARINHO AUTOR DO GOLO  COM A TAÇA
foto Jornal a Bola








foto Rui Lucas













EQUIPA RECEBIDA NA CÂMARA MUNICIPAL 
Em baixo. O regresso a Coimbra da embaixada do Encontro de Gerações

segunda-feira, 21 de maio de 2018

CNN E A COZINHA PORTUGUESA -. SEGUNDA PARTE

1ª Primeira parte AQUI

Os 20-(primeiros 10 na primeira parte)motivos que tornam Portugal no maior segredo da cozinha europeia, segundo a CNN
Ouvir a CNN dizer que Portugal é um dos mais bem guardados segredos culinários da Europa é quase tão emocionante como ver o Ronaldo levantar a taça, no domingo, à frente de milhões de franceses. E não estamos propriamente a falar de uma francesinha perdida num texto sobre a Europa gourmet. Estamos a falar de todo um artigo onde são enumeradas as 20 razões objectivas que tornam Portugal numa das melhores cozinhas europeias, a par da francesa, da italiana ou da espanhola.
Segundo a CNN, os restaurantes portugueses no estrangeiro não deviam servir apenas para “melancholy emigrants seeking in vain to matar saudades (kill their longing) for mom's home-cooked food”. Há razões para valorizar a cozinha portuguesa. E começam logo com a mais indiscutível de todas: o melhor peixe do Mundo.

10.Os pratos típicos regionais
É verdade: cada região tem um prato típico que é único e delicioso. A CNN destaca a sopa de cação do Porto Santana, em Alcácer do Sal; as lulas do Correia, em Vila do Bispo; o ensopado de enguias, do Telheiro, em Aveiro; ou a perdiz do Solar Bragançano, em Bragança. Convenhamos que é de quem conhece, de facto, o país.
11. O vinho
Espantoso. É esse o adjectivo que a CNN usa para qualificar a variedade de vinhos que tem um país tão pequeno como Portugal. Desde o vinho verde até ao vinho de Carcavelos, a estação de televisão fala de tudo
12. A abertura ao mundo
Desde o século XV que Portugal influenciou e foi influenciado pelas mais variadas cozinhas internacionais. Foram os portugueses que levaram a tempura para o Japão ou o caril vindaalo para Goa. Em troca recebemos o frango assado com piri-piri, a feijoada ou as especialidade de Angola, Moçambique e Cabo Verde.
13. O leitão
Da Bairrada, claro. A CNN fala do Pedro e da Meta dos Leitões, na Mealhada, ou da Casa Vidal, em Aguada de Cima. Mas para mim, o melhor leitão da Bairrada é claramente o da Meta, onde tudo é bom: o leitão com a pele estaladiça, o molho picante, a salada de alface e cebola, as batatas fritas fininhas e o fantástico vinho frisante da Casa Sarmentinho.
14. A fruta

As bananas da Madeira, o ananás dos Açores, as cerejas da Serra da Gardunha, as laranjas e os figos do Algarve, os melões do Tejo, as ameixas de Elvas e as maçãs Bravo Esmolfe merecem tudo. Mas eu acrescentava as meloas da Ilha Graciosa nos Açores. De facto, não há fruta como a portuguesa.
15-. As sardinhas
A CNN está deslumbrada com os Santos Populares e as magníficas sardinhas assadas na rua. Não há dúvida de que é um programa imperdível. Mas se experimentarem as sardinhas fora da época dos Santos, entre Julho e Agosto, então, sim, vão comer um peixe inesquecível, gordo, saboroso e cheio de ovas.
16. Os petiscos mais estranhos
Da fantástica lampreia aos imperdíveis percebes, passando pelas línguas de bacalhau ou pelo pudim Abade de Priscos, a CNN ficou impressionada pelos petiscos exóticos portugueses. E nem provaram os ovos mexidos com mioleira
17. Os mercados
Especialmente os mercados de frescos, com o peixe acabado de pescar, as frutas e os legumes das quintas ou as flores apanhadas diariamente.
18. Os rivais dos pastéis de nata
Não é que os pastéis de nata não sejam bons, é que a CNN descobriu os outros deliciosos bolos portugueses, como o bolo de mel da Madeira, o bolo de figo, amêndoa e alfarroba do Algarve (um dos meus preferidos), os pastéis de Tentúgal, o toucinho do céu ou as barrigas de freira, aqui pomposamente apresentadas como “nun’s belly”.
19. Os pregos e as bifasnas
São boas escolhas, mas francamente não estão entre as 20 melhores especialidades da cozinha portuguesa. A CNN destaca os pregos do Ramiro, em Lisboa. Eu prefiro as gambas. Ou o delicioso presunto.
20. O cabrito e outros animais

A CNN diz – e muito bem – que a carne em Portugal não se resume ao porco e ao leitão. O cabrito é elogiadíssimo, tal como a chanfana de Coimbra, a carne Barrosã ou a vaca maronesa. Também se fala do javali, do veado e da lebre.

sábado, 19 de maio de 2018

PASSATEMPO

Uma é no Japão, outra no Canadá e outra na Nova Zelândia. Onde fica cada uma delas?                                                                                                                                                Com um abraço Alfredo Moreirinhas




sexta-feira, 18 de maio de 2018

REVISTA DE IMPRENSA-DIÁRIO DE COIMBRA ANO DE 1985 SEGUNDA PARTE PARTE


Curioso documento gentilmente cedido  por Dr. José Ferrão encontrado no espólio de seu pai ANTÓNIO FERRÃO

    EG

quinta-feira, 17 de maio de 2018

As lições singulars

Sendo a primeira obra de arte dentro do Plano de acção de arte pública de Montreal, as Lições singulares são uma série de referências à vida urbana sobre o relacionamento colectivo.
A Praça Roy apresenta-nos uma mesa tipo fonte em latão que representa o mapa mundo, assim como um conjunto de oito cadeiras esculpidas em bronze, aço inóxidável e latão, ornamentadas com objectos utilitários de usos diferentes utilizados no dia a dia como se pode ver a seguir.
É seguindo a continuação da rua Roy que acompanha a praça
e já no Parc LaFontaine que Michel Goulet criou a segunda fase das Lições singulares a serem apresentadas oportunamente.

Por vezes até certas obras de arte têm a sua história com mais ou menos piada derivado aos factos que a envolvem.
A cadeira abaixo foi roubada da referida praça
e desapareceu durante quinze anos, pelo que tiveram de fazer outra para a substituir. O engraçadinho que deve ter feito por uma brincadeira de mau gosto, pô-la na sua garagem que servia de armazém e nunca mais se lembrou, tal era a sua preocupação. Passado quinze anos resolveu vender a casa e o novo proprietário ao fazer a limpeza deparou-se com a cadeira. Alertou as autoridades, a cadeira foi entregue ao escultor que a voltou a dar à Cãmara e depois de comum acordo foi colocada noutro lado.
Conclusão: - um ladrão muito distraído.