sábado, 1 de abril de 2017

ENCONTRO COM A ARTE - POESIA para Abril

     O AROMA E A VOLÚPIA DAS ROSAS

Poema de ORCA
Jorge Castro


                                       - às mulheres de Abril

   Quanto aprecio quando o vento despenteia
            As ideias que guardamos inconscientes
   Quanto aproveito quando a tua mão semeia
    As sementes  que  são  nossas por instantes

            E  quando  o  Sol  anuncia  as alvoradas
   quanto eu quero ouvir de ti o  que me digas
         de quanto sabes das campinas alouradas
    da  liberdade  solta  enfim  entre  as espigas

        trazes contigo o mundo inteiro no regaço
   e nunca é tarde ver-te a dimensão do tempo
 que por nós passa e ao passar nesse compasso
faz de nós intemporais por um momento


e a vida flui pelas pontes que fazemos
sobre águas mansas ou torrentes alterosas 
e nunca tendo tudo aquilo que queremos

        é sempre o nosso aroma e a volúpia das rosas
                                                        

9 comentários:

  1. Vou fazer queixinha ao Jorge Castro...

    ResponderEliminar
  2. Um prazer ler belo poema!
    Em abril é especial...

    ResponderEliminar
  3. Um prazer ler belo poema!
    Em abril é especial...

    ResponderEliminar
  4. É sempre um prazer estar em vossa companhia!

    Só um pequenino nada: no penúltimo verso, «e nunca tendo...»

    Beijos e abraços.

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. No livro também está "do regaço", como tinhas aqui?

      Eliminar
  6. "trazes contigo o mundo inteiro no regaço"-no livro está bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então está tudo bem. Já podemos dormir descansados.

      Eliminar