terça-feira, 11 de abril de 2017

Panorâmica

Escultura em aço pintado e serigrafado, granito.
Um trabalho pertencente ao Museu de Lachine que se situa na rota da pista panorâmica de ciclismo que acompanha o rio Saint-Laurent, em frente ao lago Saint-Louis.
O artista convida os passantes a sentarem-se face às três colunas e através dos espaços entre elas poderem ver a mutação entre a água do rio evaporando-se e o céu formando nuvens. Ao olhar-se ao mesmo tempo as colunas, é como uma paragem de todo o processo que se desenrola naturalmente aos nossos olhos.

Pelo uso do "tapete" em frente do banco, vê-se que o local é apreciado.

8 comentários:

  1. Na verdade, gente não falta ao olhar o tapete verde tão gasto. Para alguns, simples curiosidade. Para outros, mais desligados das coisas terrenas e mais contemplativos dos fenómenos naturais, uma boa forma de cada um à sua maneira interpretar os sinais que a cada passo a natureza nos oferece. É no conhecimento cientifico que reside a busca de um futuro melhor. Mas se esse conhecimento pula e avança em muitos setores, nomeadamente o da medicina, regride por exemplo nas armas de destruição maciça. E é neste paradoxo que vivemos. O Homem no seu melhor e o seu pior. Nesta fronteira de contradições,tenhamos ao menos tempo para observar três simples colunas e a dança universal de alguns dos elementos do planeta que é a nossa casa global ...
    Abraço, Chico

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Natureza é a arma natural mais bela e mais poderosa que sempre existiu, Quito.
      Já a encontrámos, destói-se pelas cheias, fogos, terramotos, vulcões, etc e recompoem-se naturalmente.
      O ser humano destrói-a e Ela recompõe-se.
      Quanto às armas de destruição massiva, é bom para se fazer propaganda pois mesmo sem elas centenas de milhares partiram nos últimos quatro anos só numa região. É destes números é que se devia falar e não só quando nos bate à nossa porta. Não devia haver era armas.
      As três colunas são um eleogio à Natureza e à capacidade creativa do ser humano.
      Um abraço.

      Eliminar
  2. realmente uma foto simples, bonita e com uma finalidade bem interessante! Brilhante a ideia do artista!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúuvidas, Rafael. Muito simples. A ideia é a obra.

      Eliminar
  3. A foto está boa e os comentários bem explicados. Agora só falta mesmo, é ir lá, sentarmos-nos no banco e apreciar calmamente a beleza e simplicidade da escultura.

    ResponderEliminar
  4. Escultura aparentemente simples,mas poderosa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Celeste Maria. Faz-nos pensar na inteligência do artista.

      Eliminar
  5. Fui lá várias vezes e o problema é sempre o mesmo, Alfredo Moreirinhas. Está-se sujeito a ir ou não no dia ideal. Até já lá fui num dia desses mas... tinha deixado a máquina fotográfica em casa. Ai estes fotógrafos...

    ResponderEliminar