domingo, 22 de maio de 2016

Museu minimal... vazio







Para quem não sabe o que isto é (ou melhor, deveria ser), pode ler este artigo das «Notícias de Coimbra».

27 comentários:

  1. Só falta dizer que o Director, Curador e Conservador recebem ordenado!...

    ResponderEliminar
  2. Aqui nesta não estou de acordo com o Paulo Moura. Desculpai, Senhor mas eu sou muito directo.
    Em primeiro criaram essa obra de arte, muito provávelmente modular e com uma clara boia pelo menos. É trabalho de uma profunda inspiração artística que veio mudar toda a panorâmica da zona. Depois, quando lá entraram nem deram valor à maravilha do museu do ar que é básico na sobrevivência dos seres vivos. É mesmo não apreciar arte!

    A Lucinda esteve lá e ficou de tal maneira extasiada que nem tirou fotografias, pois há que preservar para o futuro uma obra dessa envergadura.

    Como se diz por cá tanto numa obra de arte aqui nomeada ontem e já inaugurada, que não deve ter sido nenhum sindicalista a cortar a fita, assim como nesta que foi muito bem acompanhada, seria excelente um tabalho como a UPAC para provar fora de toda a dúvida que tudo foi correctamente executado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chico, este Museu do Ar (o que me ri!) sempre está bem acabado, ao contrário do mamarracho.
      É um mamarrachinho.

      Eliminar
    2. Mas esse foi acabado dentro do tempo e dentro do orçamento!...

      Eliminar
  3. Quando fui à Galeria Bar passei lá nesse dito Museu Vazio e pensei: se o Paulo Moura passar por aqui vai delirar de máquina fotográfica em punho!É um verdadeiro museu à falta de imaginação....Ou será que lá detnro se respira um ar perfumado?
    Se for posso colaborar!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, bem que poderia ser um museu da Tuna Meliches...

      Eliminar
  4. Por falar em ar vou fechar a loja para recupera de algum ar perdido nestes dois dias!

    ResponderEliminar
  5. Venho contar uma que se acaba de passar e que me deixou muito satisfeito.

    Aqui acontecem muitos raptos de crianças dos quais muitíssimos são problemas familiares mas são tratados como raptos. Por vezes lá vai desaparecendo uma criança que nunca mais se encontra pelos mais diversos motivos.
    Houve aqui hoje um jogo baseball entre amigos aonde apareceram ex-estrelas desportivas dos diversos tipo de deporto. Era notório a presença de uma estrela de baseball do passado com os seus respeitáveis cabelos brancos e bem mais novo o ex-jogador de hóquei no gêlo dos Canadianos de Montreal Georges Laraque de quarenta anos, preto, nascido nesta província e muito querido.
    A um dado momento uns pais começaram agritar pois estavam a raptar-lhe a criança, umas pessoas envolveram o raptor e lá foi o Georges Laraque com os seus 120kgs e 191 cms de altura pôr as mãos no bandido. Só o largou quando a polícia que tinha sido chamada o algemou. Que pena não haver muitos Georges Laraque no local certo e no momento exacto. Enfim... este caso acabou bem.

    ResponderEliminar
  6. Então isto não é um posto de venda dos SMTUC?

    ResponderEliminar
  7. Mas qual Museu ?! Isto é um T ZERO ...

    ResponderEliminar
  8. Falso. Pelo que rezam as crónicas, nas Noites do Parque, durante a Queima das Fitas, serviu de casa de banho...

    ResponderEliminar
  9. Ninguém lhe sabe dar valor e o problema continua... Tem "ar".

    ResponderEliminar
  10. Respostas
    1. ... e não sentes falta de ar?
      Pega numa lupa, atravessa a ponte de Santa Clara e é logo ali, no passeio à direita.

      Eliminar
    2. Se te descuidares até tropeças na barraca.
      Que grande barraca!

      Eliminar
    3. Grande?! Ah! Também levaste lupa!

      Eliminar