domingo, 7 de setembro de 2014

Ai vocês não gostam de fotos com grades?!...

Tomem lá grades!
Se acertarem onde é isto, o Alfredo Moreirinhas dá-vos o prémio habitual.


25 comentários:

  1. Um passatempo deve ter sempre uma deixa para os outros tentarem lá chegar, mesmo sem conhecerem.
    Espero que o Rafael já saiba.
    Um palpite: Porto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa? o Paulo Moura já nem se lembra onde tirou esta foto!!
      Terá sido no Porto? Em Paris.
      Pois será em Portugal ou no estranjeiro!
      Porque é que é o Alfredo a ser o patrono do prémio?
      Ferro enferrujado com prémio de caril?
      HUM?????

      Eliminar
  2. É no norte (capital).
    Tonito.

    ResponderEliminar
  3. Vês, Chico? Toda a gente conhece. Dar uma pista seria menosprezar os vossos conhecimentos. Neste caso, mais do que um passatempo, eu quis mostrar... grades.

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. Já passaste recentemente lá por baixo a tocar bombo.
      Foto da Ponte D. Luís, tirada do tabuleiro de baixo.

      Pensei que era obra do Gustave Eiffel mas aprendi na Wikipedia que não foi exactamente assim:

      A Ponte Luís I ou Luiz I, popularmente também chamada Ponte D. Luís, é uma ponte em estrutura metálica com dois tabuleiros, construída entre os anos 1881 e 1888, ligando as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia (margem norte e sul, respectivamente) separadas pelo rio Douro, em Portugal.

      Esta construção veio substituir a antiga ponte pênsil que existia no mesmo local e foi realizada mediante o projecto do engenheiro belga Théophile Seyrig, que já tinha colaborado anteriormente com Gustave Eiffel na construção da ponte Maria Pia, ferroviária.

      A ponte foi inaugurada em 1886 (tabuleiro superior) e 1888 (tabuleiro inferior e entrada em total funcionamento).

      Eliminar
  5. Nem me fales nesta PONTE!!1
    Pelo São João, naquele ano que lá fomos, quando íamos a meio, pensei que tinha sido o meu "fim"!!!
    Abrenúncio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Relembrámo-nos disso neste fim de semana em que tirámos a foto.

      Eliminar
  6. Sempre que por aqui passo admiro a obra de engenharia e relembro o grande susto de uma mais que marcante experiência da noite de São João!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando lá passo, recordo-me sempre da cabeça a andar à roda nessa noite...

      Eliminar
  7. Paulo, desta vez exageraste. Isto é uma overdose de grades !!!!!!!!!!!!!!!!!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era essa a ideia, Quito. Mas esta malta começa toda a falar a sério...

      Eliminar
    2. A sério que me vi aflito, como me ia safar se nem meio passo podia dar e com a ponte a banar e já quase desmaiado!!!

      Eliminar
    3. Se fosses só tu... mas éramos todos...

      Eliminar
  8. e depois disto andámos kilómetros para comer umas sardinhas "ranhosas"!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi frango com sabor a lixívia, nas Fontaínhas?

      Eliminar
    2. Exacto!!!
      Agora me recordo!!! Sempre ao retardador...
      O Joge dizia: agora vamos comer uma sardinhada às Fontaínhas!!!!
      Quando lá chegámos, sardinhas? Nada num lugar manhoso tipo Farwest!!!
      Havia frangos de churrasco!!! E fome!!! Marcharam!

      Eliminar
    3. Tenho umas fotos lá das Fontaínhas que dão bem a ideia da manhosice daquilo...

      Eliminar
  9. Ponte dançarina, sardinhas ranhosas, frango com sabor a lixívia, cá para mim vocês foram passar o São João à Figueira da Foz e as grades são só para enganar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Vianita, não sabias desse fenómeno da ponte D. Luis na noite de S. João? Fecham o tabuleiro inferior ao trânsito e aquilo é um mar de gente a atravessá-lo. O nosso amigo Jorge Costa, quando passámos por lá, para nos pregar a partida não nos avisou, o pirralho tripeiro: com os passos das pessoas, a ponte ganha uma pequena oscilação que, para quem sabe, é uma diversão. Para quem, como nós, não fazia qualquer ideia, a malta começou a ver-se atrapalhada. A Luisa segurou-me na mão, aflita:
      - Ó Paulo, estou a sentir-me tonta.
      - Também eu, Luisa...

      Eliminar
  10. Estou farto de me rir convosco. Os comentários que andaram a fazer, só para pôr o Carlos Viana no fuso. EÉ mesmo pessoal do nosso tempo. Gostei de ver o Carlos Viana no fuso.

    ResponderEliminar
  11. Respostas
    1. Essa não foi destruída com um x-Acto e com um alicate?!

      Eliminar