terça-feira, 28 de outubro de 2014

VENHAM MAIS DESASSOSSEGOS....


21 comentários:

  1. Concordo! Confesso que já me vou rendendo ao conformismo, mas se os jovens não lutam, sou eu, com perto de 70 anos, que vou lutar, para quê e para quem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para tua própria defesa, para te sentires vivo e para dares o exemplo aos jovens...

      Eliminar
    2. Alfredo, TOOOOOOOOOOMAAAAAAAA!

      Eliminar
  2. Os jovens lutam com bravura. O legado que lhes deixamos é pesado. Cada geração tem os seus pesadelos. Na minha geração, foi a maldita guerra em África.

    Vivemos numa hipocrisia instalada a nível europeu. Os de sempre,a esmagar os do costume. Lutamos para nada. Somos apenas marionetas dos senhores da Europa. Vivemos embrulhados na capa de uma caridadezinha sórdida, que nos esmaga.

    Seria curioso para mim, ver Zeca Afonso voltar à vida e ouvir a sua voz, neste contexto de subserviência. Morreria outra vez ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Próximo dia 7, no TAGV, Zeca vai voltar à vida.
      Hoje, os funcionários públicos voltaram à vida.
      Há homens e mulheres que se recusam a fazer parte de um contexto de subserviência.

      Eliminar
  3. Este é o HOMEM (a meu ver) mais subestimado em PORTUGAL!!!!O seu valor artistico e humano deveria ser muito mais reconhecido! Hà de vez em quando, um Festivalzito, a render-lhe justa homenagem! E saudàvel e bem intencionado. Mas jà visitei cidades, onde morou, onde trabalhou e nao conheço nenhuma que lhe tenha atribuido o nome duma das suas ruas!!!!Nem sequer COIMBRA, que tanto lhe deve! Li recentemente o excelente livro "LIVRA-TE DO MEDO", de José A.Salvador e fiquei a melhor conhecer a sua vida!

    ResponderEliminar
  4. E pior, acrescentando um comentário ao de vocês, com os quais concordo em absoluto: vai ficando cada vez mais difícil repassarmos às outras gerações a História de nossa gente - pelo menos daqueles que valeram a pena, e ainda valem muito.
    Talvez seja um cadito mais nova do que vocês, uma quarentona já quase perto da casa dos cinquenta, ou seja, tenho mais passado do que futuro, provavelmente, mas quando converso - e adoro fazer isso - com gerações mais novas, parece que vivo numa "tribo" isolada. Eles, com raras exceções - não sabem nada de muita coisa. Enfim, os "ídolos" deles são outros, alguns sem qualquer conteúdo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chama a Mmãe!

      Infelizemte está tudo tão técnico que nos países cada vez mais se sabe menos sobre sectores como História, Geografia, etc.

      No concurso Miss Teen USA de 2007, a pergunta foi porque é que a concorrente pensava que um americano sobre cinco não eram capazes de localizar os USA num mapa mundo.

      Numa sondagem em 2002 da National Geographic os resultados alarmaram:

      * 20% dos jovens americanos não localizavam o seu país no mapa
      * 29% não encontravam o Oceano Pacifico
      * 58% Japão
      * 69% França
      * 69% Grande Bretanha

      Tanto lá como aqui, a juventude não liga nenhuma a geografia e a História. Por sua vez, os professores também não os chumbam porque são precisamente produtos sem interesse para procurarem trabalho. Na prática, vive tudo assim.
      Hoje procuram profissionalizar-se profundamente nas ciências como as de medicina, umas tantas de engenharia, incluindo a informática que hoje é o último grito, arte, etc.
      Os outros, tiram cursos curtos que derivado aos sindicatos, têm excelentes ordenados. Por isso não se interessam com o que não lhes dá dinheiro. Mundo materialista.

      Sou de um pequeno país mas com uma grande alma. Só que vão daqui lá, adoram a sardinha assada com broa em Lisboa, gostam de ir ao Algarve, gostam de comprar lá ou cá o galo de Barcelos assim como aventais do mesmo mas muitos pensam que Portugal faz parte da Espanha. Eu, antes vir para aqui, assim como a maior parte das pessoas do meu tempo, conhecíamos os países americanos. Isto fora o Brasil, que sempre teve um lugar especial para quase todos nós. É incrível mas é verdade.

      Eliminar
    2. Em nome do Brasil, agradeço esse "lugar especial".
      Baita abraço!

      Eliminar
  5. Juntando tudo o que foi a minha vida quando vim de trás da Serra para Coimbra, em 1979, um dos maiores privilégios que assumo que tive foi o de poder assistir a vários espectáculos do José Afonso.
    O Dr. Rui Pato observou no Facebook que a AJA - Associação José Afonso está implantada no Norte, Aveiro, Grândola, Lisboa, Santarém, Setúbal, Alto Alentejo e Barreiro.
    Coimbra é uma cidade órfã de José Afonso!
    O Dr. Rui Pato informou que já há quem esteja a providenciar a criação da AJA Coimbra.
    Por mim, vou fazer o que for necessário para termos em Coimbra o que Coimbra precisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Maestro Lopes Graça, durante uma sessão em sua homenagem, no TAGV, ao observar que se encontrava na plateia pouco mais do que trinta pessoas, segredou-me algo que jamais esqueci e que considero uma grande verdade. "Coimbra sempre foi madrasta para os seus filhos".

      Eliminar
    2. No dia 7 lá vamos-eu a Celeste Maria e a Olinda ao TAGV ver um esoectáculo organizado pelo Atneu de Coimbra, com Brigada Vitor Jara, Paulo de Carvalho, Bonifrates, Raizes de Coimbra,Gefac, etc

      Eliminar
    3. Também já tenho bilhetes. Lá nos encontraremos.

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Ainda vamos ter uma AJA Amazónia... digo, Amazônia

      Eliminar
  7. Habitualmente quando uma pessoa defende um ideal dentro dos seus princípios e de forma democrática, é habitual receber o respeito e reconhecimento de um país, qualquer que seja o lado político.
    Há aqui um caso muito idêntico de Félix Leclerc, menino querido dos independentistas, que partiu em 1998 e desde 1997 que o seu nome tinha sido atribuído a uma auto estrada.
    Hoje os independentistas são uma minoria mas ninguém se atreve a alterar a situação, se bem que o partido federalista tenha ganho as últimas eleições com setenta e cinco por centos de todos os votos.
    Escrevo sobre estes partidos sem ligar às suas ideias políticas e neste género não há aí.

    ResponderEliminar